sexta-feira, 22 de abril de 2011

O Acaso



Difere nas suas atitudes, contudo, ela adora o seu ar divertido e distraído.
   Acha-o fútil, desavergonhado, estranho, diferente, distante, mas ao mesmo tempo, tímido, perto, como se o conhecesse há séculos.
   Atraente autoavalia-se ele, convencido caracteriza-o ela. Em tão pouco tempo passou-se tanta coisa por aquelas ruas fora, pelos trilhos atravessados, pelas histórias vividas.
   Agora partirá. “não vai dar certo” diz ele… agora sim tudo vai ser diferente. Futuramente irão agir como desconhecidos, como  num mundo novo cheio de pessoas novas, diferentes. O cheiro adocicado permanece, o toque, o sorriso e o olhar permanecerá nas memórias até que um dia se voltem a encontrar. “O acaso se encarregará”.
   Talvez sim, talvez não. No entanto ela preparar-se-á.
   Uma festa… num vestido preto coberto de renda delicada e macia, agora com cabelos longos, pretos, carregados. Coberta de acessórios simples mas realçantes. Caminha ela com postura, olhar desafiante, misterioso, poderoso. Traz com ela um cheiro poderoso, característico, como nos velhos tempos, no entanto já não se deixa enganar por ninguém.
   Bebe um cocktail de morango, o seu preferido desde aqueles tempos. Num repentino momento as pupilas dilatam, a sua atenção desperta, sente-se fraca novamente, “não pode ser, aquele odor doce voltou". Olha para os lados, no meio de tanta gente não vê ninguém! "Quem se identifica com aquele aroma?" Aí vem ele, aquele sorriso, aquele odor, aquele olhar. Depois de tanto tempo ele retorna melhor que nunca, de fato preto, um dos clássicos. Caminha na sua direcção, pede um whisky com duas pedras de gelo e senta-se ao seu lado. O sorriso permanece “estampado” na sua cara, como que uma felicidade e confiança percorressem o seu corpo corpulento. Convencido como sempre toca na sua mão. Um toque suave, com as suas mãos grossas mas macias. Não mudou, tudo o que permaneceu na memória continua contido nele, o cheiro adocicado, o toque, o sorriso, o olhar, o seu ar de “convencido”. Pede-lhe para dançar, ela aceita… Uma música lenta, um clima confortável.
“Será que posso saber qual o nome desta donzela?” Um sorriso escapa dos seus lábios, um riso de decepção mas ao mesmo tempo de gozo.
   Afinal ele nunca a conheceu de verdade, nem mesmo naqueles tempos já antigos.Ela fora apenas alguém que esteve ao seu lado durante um tempo, nada de importante. 
“Não vai dar certo” - disse ela sorrindo e afastou-se contente ao ver os olhos dele a abrirem-se de surpresa. Sim o acaso voltou a juntá-los, e sim ela preparou-se.
     




14 comentários:

  1. own, obrigado :$
    e sim já passei por muitos maus momentos mas sei que piores virão e há sempre algo a aprender com eles, é só saber tirar proveito l:

    ResponderEliminar
  2. ahahahahah,procurei uns templates mudei umas coisinhas e ficou assim,às vezes nem eu sei o que fiz xD

    ResponderEliminar
  3. Pois é verdade! (:
    Adorei o blog, estou a seguir !

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pelo "feliz dia" e pelo selo Marte!
    Beijinho grande*

    ResponderEliminar
  5. oh meu deus, eu nem sei o que dizer senão agradecer do fundo do coração! muito muito obrigada mesmo! muitos beijinhos :D

    ResponderEliminar
  6. sempre tive este bichinho da fotografia. fotograva lugares, paisagens e etc. mas desde que criei o blog tenho fotografado com "mais gosto" e coisas mais minhas, pessoais e isso. :)

    ResponderEliminar
  7. Estou a seguir o vosso blog meninas . MUITO GIROOO *.*
    passem no meu e se gostarem também, tornem-se seguidoras
    Peace and Love !

    ResponderEliminar